sábado, 27 de dezembro de 2008

You got to MOVE IT

O último post deu muito certo, eu realmente consegui esclarecer melhor minha visão das coisas e evitar conclusões erradas.

Tá certo que eu fui impiedosamente acusado de capitalista, mas disso tratarei depois.
Não que eu não seja capitalista, hohoho. Adoro o capitalismo. Eu só quero entender qual o sentido dessa descabida acusação...

O Jean, apesar de todo o perigo que apresenta, tocou num assunto interessante nos últimos comentários. Ele disse que não existe inferno. Disse também que existe vida em vários outros planetas, mas se ele ta falando de micróbios eu realmente não me interesso.
Poissim, isso me fez lembrar de um fato extremamente bacana que eu li em algum lugar.

Lúcifer é o nome bíblico do diabo

Errado. Pra começar, “Lúcifer” jamais apareceu nos pergaminhos originais que o Concílio de Nicéia transformou na bíblia atual; a palavra apareceu pela primeira vez na Vulgata, a bíblia em língua latina. Lúcifer é a tradução em latim pro termo que significa simplesmente “o que trás a luz”. Esse termo é usado apenas duas vezes na bíblia - pra descrever o rei da Babilônia, e - PASMEM! - se referindo a Jesus, no livro de II Pedro.

Yep, isso mesmo - o apóstolo Paulo (autor da epístola a Pedro) usou o termo “Lúcifer” pra se referir a Jesus. Aposto que seus amigos evangélicos não sabiam disso.

(O texto, caso estejam curiosos, é II Pedro 1:19)

O nome se tornou associado à figura do inimigo divino graças a interpretação católica de que o texto em Isaías 14 (o profeta se dirigia ao rei babilônico, alertando-o que sua soberba e aspiração por suposta divinidade o faria pagar muito caro em breve) era uma alegoria sobre um anjo que se rebelou contra Deus e caiu do céu.

Entretanto, a tal história do anjo revoltado não aparece em lugar ALGUM na bíblia. O texto se referia claramente ao tal rei. Chocante, né?

O fato de que o termo foi utilizado na bíblia apenas pra se referir a um rei e, mais tarde, a Jesus, leva muitos teólogos a acreditar que a figura do diabo tal qual conhecemos foi criada pela Igreja Católica pra tornar seu credo mais similar a outras religiões, em que o foco não é na salvação humana, e sim na eterna luta do bem contra o mal.

De repente o Padre Quevedo (e sua icônica insistência na não-existência de Satanás) não parece mais tão estranho.

As outras aparições do diabo na bíblia são igualmente vagas. A serpente do Éden nunca é identificada como Satanás, apenas como uma serpente com pernas. O mesmo vale pro personagem que debateu com Deus a respeito da virtude de Jó. O termo usado no texto original pra descrever o sujeito foi “andarilho”.

A mitologia judaica que forma o Antigo Testamento, por mais que os cristãos tentem negar, mostra indícios de influência de outras fés politeístas. No Gênesis, por exemplo, Deus diz “criemos o homem à NOSSA imagem e semelhança”. Como assim, “nossa”?

Cristãos tentarão te confundir dizendo que Deus estava conversando consigo mesmo, ou com Jesus. Acontece que o termo usado no original foi Elohim, que dá a idéia de um panteão de várias divindades. Isso pra não mencionar que Gênesis foi escrito por Moisés, um judeu, e ele obviamente não acreditava na figura de Jesus.

E pra cimentar ainda mais essa noção, o primeiro - e presumivelmente mais importante mandamento - dá ainda mais indícios disso. Nele, Jeová instrui os israelitas a não adorarem “outros deuses”. Mas como assim, outros deuses? Ele não é o único que existe…?

Ou seja - é bem provável que os autores dos mitos cristãos acreditavam em várias divindades. As várias figuras perversas que aparecem ao longo da bíblia seriam múltiplos deuses maléficos, o que explica por que eles eram referidos por nomes diferentes.


O quote é deste blog: Hoje é um Bom Dia

Eu não quero começar nenhuma guerra inter-clãs aqui. Não importa a sua religião, você há de admitir que a Igreja foi uma grandíssima filha da égua nesse período e só por isso tem tanta influência hoje em dia.

Mas convenhamos, nós não precisamos de tantas discussões e tal e coisa a respeito da Vida, o Universo e Tudo Mais.
Digo, todo mundo sabe qual é a resposta pra isso.


A minha família é bem grande, sabe?
Só o pedaço que eu já conheci preenche o Brasil de norte a sul. Nas férias passadas, conheci uma enorme parcela que eu nunca tinha visto antes, numa cidade dominada por duendes. Quem lembra disso?
Quem não lembra (ou nem viu), vale a pena ler o post. Conta uma descoberta interessante que eu fiz naquele dia. Ah, e sobre a figurinha do Guillermo Franco... Ele tá colado no meu baixo agora! =D

Pois é, hoje a tia-avó Sebastiana morreu... Da única vez que eu vi ela (na tal cidade dos duendes), a coitada já tava sofrendo de Alzheimer e tal e coisa.
Esse post não vai tratar da morte dela, até porque até hoje eu nunca fui muito afetado pela morte de ninguém. Verdade que ninguém muito próximo de mim morreu, mas tem também outro fator: Meu modo esquisito de ver as coisas. O que remete a uma visão que, por hora, eu não vou explicar. Pois seriam muitos posts polêmicos em seguida, e isso aqui não é o Congresso Nacional.

É que no funeral da tia eu fiz um amigo, o Fumaça. Pra muitos (todos?) ele era só um bêbado (ou, como diria meu pai, “bebunzim”) jogado por aí. Bom, ele era mesmo um bêbado jogado por aí, mas também era um cara legal. Minha natureza de me interessar por toda e qualquer pessoa obviamente fez de mim um moleque sociável, por isso me dou bem com muita gente.
Antes que me desse conta, já fiquei sabendo de um resumo da vida do Fumaça.
Ele era formado em Educação Física e até dava aulas como professor. Sabem por que parou? Porque um aluno mandou ele tomar no cú.
Disse que imediatamente após isso ele foi até a sala da diretora e pediu demissão.
Sei lá, essa história não me convenceu muito... Palpito que isso foi por uma série de fatores e esse só a gota d’água, mas quem sou eu pra contestar as palavras de um bêbado?

Disse que ele agora trabalha com Construção Civil. Veja bem, de professor a pedreiro por causa de um insulto.
Ah, não só isso! Agora ele bebe até as tripas encharcarem.
Mas é um homem direito. Durante a nossa conversa ele não soltou sequer um palavrão.

Aliás, hoje é aniversário do Júnior, filho mais velho dele. Eu desejaria um feliz aniversário, mas não acho que vá ser assim tão feliz com o pai bebum do outro lado da cidade.

Poissim, provando a mim mesmo que não estou lá tão enferrujado, de ontem pra hoje li um livro de quatrocentas páginas. Chama “Não Verás País Nenhum”.

Foi escrito em 1970, e falava sobre um futuro esquisito para o Brasil. A estória em si se passa em 2003, e a nação é uma gigantesca e cruel ditadura. A camada de ozônio mal existe, fauna e flora são lendas e a comida (produzida em laboratórios), contém calmantes para manter a população down.
Honestamente, é fantástico em todos os sentidos. Dá no que pensar.
O grande problema é o fim. Mas eu não vou contar mais nada, claro.

Sabe, eu desenho uma história em quadrinhos e tirinhas on-line. Já fiz um joguinho retardado e sua continuação. Comecei a jogar tênis e tocar baixo, além de praticar ninjutsu. Me dou muitíssimo bem com o teatro e coisa e tal.
Repare que eu já me meti em vários projetos. E o pior, gostei de todos eles.
Agora me deu vontade de escrever uma história. Eu já escrevi uma, né... Era uma curtinha em que os personagens eram figurões de um fórum que participo. Até que ficou boa, me fez ganhar um concurso do mesmo fórum. Aí acho que sou capaz de uma mais legal.
Depois eu posto aqui e vocês me dizem o que acham, demorou?

No mais, espero que vocês tenham tido um feliz natal, porque o meu foi ótimo!
E cuidem para que o ano novo seja melhor ainda, porque o meu provavelmente vai ser. 8D


E olha que legal, um mês de namoro... Quem diria?

Ah, e quanto a esse filme...
Absurdamente demais.

Desculpem, não tenho tempo pra fazer um comentário maior. Aqui na casa do Folx temos toque de recolher, sabem como é.

8 comentários:

Rafael disse...

we like to move it, move it!

Nana :B disse...

preguiça de comentar sobre tudo, mas.... o filme realmente é incrivelmente divertido :D e tãão bonitinho *-* hahahahah

Mái disse...

mimimimimi eu ainda não vi o filme, ma sussa... gostei do tema do livro =] de qual autor é? eventualmente eu roubo ele de vc, blz? prigui de coments tudo =]

Willölsei disse...

Que filme que é? A imagem tá com um X'zinho de erro aqui >X'D triste

Eu já te falei toda a minha opnião sobre religiosidade e coisa e tal. Mas não falei que achei sua idéia sobre randomicidade bem interessante, neh?

8D hoow, tá na casa do Fox! Manda um abraço pra ele por mim x3 Faz tempo que eu não falo com ele ^^

Eu também ganhei o concurso ´tá =B (Não sei como, acho que foi pelos floods? XD) Mas não fiz nenhuma tirinha...

Aliás, você tem lançado mais?

Gam é um garoto cheio de idéias. Aposto que era um inspetor bugiganga.

Vai saber se o filho do bêbadoprofessordeeducaçãofísica não foi o mesmo que mandou ele tomar no cú? =/

Triste ter o fimde uma carreira acadêmica desse jeito. E realmente, vocêé sociável demais D'=

matheus disse...

Caraka gam,vc ta postando com mais freqencia.Com li um monte de uma vez a pregi ñ me deixa comentar mais nada.AuhUAhuahuUH!

Jean Perigoso disse...

encontro magico da terra dos duendes foi legal
quanto a nossa tia avó q faleceu eu nao pude ir no sabado
gam um mes de namoro parabens
fiquei sabendu q vc nao vai mas pra p4 entao resolvi partir hoje mesmo pra la
feliz natal atrasado e um ano novo repleto de paz e amor

Jean Perigoso disse...

gam existe vida humana em varios outros planetas
e eh verdade a igreja catolica
foi uma grandíssima filha da égua

PS:eu nao sou catolico mas nao tenho nada contra nenhuma religiao

Jean Perigoso disse...

<