sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

"Homo sapiens, o onívoro por natureza que todos nós somos."


Caríssimos.
Vim hoje no intuito de escrever um longo, polêmico e prepotente post criticando vegetarianos. Mas, parando pra pensar, acho que posso resumí-lo em uma mensagem de duas orações simples para eles:

Não é o que vocês fazem que tá errado. É como vocês fazem.

Veja bem, eu não estou aqui pra criticar qualquer religião, mas ninguém gosta de mais um tipo de Testemunhas de Jeová. Conversão, por si só, é um tópico extremamente delicado. Perceba, se alguém quisesse se converter a alguma coisa, ele iria atrás disso pessoalmente. Há apenas uma chance em não-sei-quantas-várias de que a pessoa realmente aceite sua crítica agressiva como um novo caminho de vida.

E sim, postar fotos no Facebook de filhotes de animais dilacerados pendurados pelo pescoço em um gancho industrial enquanto pingam sangue e acusar todos os comedores de carne de monstros insensíveis é uma abordagem agressiva. E, sejamos sinceros, abordagens agressivas automatica e naturalmente levam a posturas defensivas.

Façamos um rápido experimento mental pra provar esse ponto, sim?
Imagine um cenário-base em que você está de humor neutro caminhando em uma rua neutra em um dia neutro. Agora, imagine duas situações possíveis recorrentes:
  1. Uma conhecida recente aproxima-se com um gentil sorriso e uma expressão ligeiramente preocupada, mas ainda assim compreensiva no rosto, e diz "Com licença, eu posso ter um momento de sua atenção? É que você tá usando camiseta azul, e eu tenho um trauma antigo a respeito de... bla, bla, bla."
  2. Uma mulher furiosa que você mal conhece chega gritando, cuspindo atrocidades e apontando o dedo na sua cara enquanto grita "MALDITO AAAAZUUUUUUULLWUUAWIRWARAWRRRRRR"
Ok, eu admito que a situação e o trauma foram um pouco aleatórios, mas deu pra entender. O ponto é que uma postura mais agradável faz completa diferença na boa-vontade do ouvinte, e isso pode te levar longe se o que você pretende é ser compreendido ou, se for mais ousado, conversão.

Se todo mundo entendesse esse princípio simples, teríamos um mundo bem menos estressante para aguentar.
Isso vale para vocês vegetarianos e vegans, todas vocês garotas nerds feias (sim, porque as feias tendem a ser bastante revoltadas. As bonitas, convenhamos, só tão nessa pela atenção), para os que foram mimados a vida inteira e não sabem como pedir algo e, principalmente, pra vocês malditos zumbis de Humanas bitolados e hipócritas.

Sim, eu tenho um trauma com os zumbis de Humanas, ou humanazóids, como gosto de resumir. Perceba que com isso não me refiro a toda e qualquer pessoa que curse Humanas, só a uma boa parte delas.

...

Aliás, tá aí um assunto divertido: Humanazóids.


Sabe aquele cara que quota frases e leis esquisitas na internet, fuma cigarro, maconha (apenas "ocasionalmente"), distribui convites de Eventos de passeatas, é todo cult, detesta o sistema, o governo, a polícia, a própria família e a Humanidade em geral, com exceção dele mesmo e possivelmente alguém que concorde com ele ou que ele queira pegar? Então...

(Parando pra ler agora, isso tá muito parecido com os hipsters. Bom, não é a toa que eu não vou com a cara dos dois grupos. Malditos adolescentes...)

... Então, isso é um humanazóid. Eles se acham verdadeiros paladinos da luz, reclamando sobre o que tá errado e as vezes até fazendo algo para lutar contra (mas em geral só reclamando mesmo). Toda e qualquer pessoa que aja ou pareça agir contra seus sagrados princípios é, aos seus olhos, um "maldito ignorante tragado pelo sistema".

Humanazóids em geral são jovens como qualquer um de nós. Eles gostam de sair e se divertir, tem um instinto de rebeldia inato e querem aparecer. A diferença é que encontraram um jeito um pouco mais pretencioso que a média pra fazer isso, que particularmente me tira do sério.

Não é a toa que os chamo de Humanazóids. Essa curiosa e hedionda raça costuma brotar entre os estudantes de cursos universitários de Humanas (de faculdades públicas, em sua maioria). Se dividirmos o mundo da maneira simplória e maniqueísta como eles vêem (ou seja, separando entre bem e mal), podemos separar os cursos de Humanas entre os cursos do bem e os cursos do mal.

Nossos auto-proclamados paladinos, obviamente, nascem dos cursos do bem: História, Filosofia, Ciências Sociais, Psicologia, Artes Cênicas, Letras, etc.

Caso esteja se perguntando sobre os cursos do mal, basta pensar em ternos.
Direito, Relações Internacionais, etc.

O que mais me irrita nos Humanazóids é a sua falsa-inteligência. De repente, porque leram um ou outro livro sobre filosofia ou comunismo, eles acham que alcançaram a iluminação absoluta e, a partir daquele momento, se tornaram Power Rangers.
Não consigo entender como alguém que ainda separa o mundo entre "gente do bem e gente do mal" pode se declarar genial o bastante pra 'consertá-lo'.

Bom, peço que não interpretem esse post como um grito de revolta. Fazia tempo que eu não postava nada, daí resolvi criticar alguém ou alguma coisa. Isso sempre rende.
Da próxima vez posso falar sobre minha recém-adquirida revolta a espíritos pobres e espíritos ricos (cheguei a conclusão de que só gosto de espíritos classe média) ou, sei lá, sobre a opinião que venho formando a respeito do meu curso. Também são assuntos que prometem render um pouco.

Aproveitando, aquele beijão pra quem ainda tira alguns segundos do seu tempo pra ver se tem post novo nessa velharia. Vocês são uma graça, gente!

9 comentários:

Cayque Rodrigues disse...

Óh, eu perco segundos do meu precioso tempo para ver novos posts nessa velharia. *-*
ME GUSTA

Cayque Rodrigues disse...

Eu já quase virei um humanazóid... o.O
Tudo parece muito bonitinho separando bem e mal e lutando (ohh, que luta árdua. ¬¬), pelo bem da humanidade engolida pelo sistema..

Pois bem, "lutem" vocês humanazóids, twittando frases socialistas através do seu IPad. Beijo.

Fabricia Marques disse...

Finalmente o senhor nos dá o ar de sua graça neste blog rsrsrs tava com saudades já de uma atualização no espaço Sburbles. Só uma pergunta por que robos não podem postar no seu blog ? Tem um negócio aqui em baixo falando prove que você não é um robô HAUAHAUAHAU devia ter prove que você não é um ninja hauahaua

Gam disse...

Ninjas são perfeitamente capazes de provar que não são ninjas, daí não tem como criar um sistema de segurança a prova deles aqui =/

MAS SIM EU NÃO TENHO NADA CONTRA ROBÔS VOU TER UM PAPO SÉRIO COM O BLOGSPOT

Anônimo disse...

Santo cristo, um Gam é tenso. POSKAPOKAPOSKAPOSKP

Curto mto suas postagens, parabéns. :)

Gam disse...

Haha, obrigado Anônimo x)

Anônimo disse...

Anônima, Gam, e você sabe quem é, seu carioca nojento! xPP

Anônimo disse...

Retificando, paulista-carioca nojento. xPP

Gam disse...

DSAHDjDSLKAJDKLASJ pior que não sei mesmo cara